Notícias

Bande Dessinee - Divulgacao-Perdizes - Credito-Louise Vas Baixa 7 de janeiro de 2014

Há algumas décadas, o principal objetivo comercial de artistas e bandas era ser contratado por uma grande gravadora. Estas empresas, que atuavam como uma espécie de mecenas do mercado fonográfico, cuidavam de todas as etapas necessárias para o sucesso de seus contratados: escolha de repertório, divulgação, imagem externa, figurino, peças promocionais, entre diversas outras ações.

Com o surgimento do Compact Disc (CD), da pirataria e do pseudo fim dos discos de vinis todo um processo foi alterado. Aos poucos, as gravadoras, até então entes fundamentais para a criação de astros da música, foram desaparecendo. Este vácuo aberto no mercado deu origem a uma nova forma de trabalhar, incluindo uma participação mais ativa dos próprios artistas e bandas.

Não dava mais para ficar em casa só esperando os direitos sobre as vendas de discos determinarem a quantidade de shows, pois a figura do mecenas havia desaparecido para a maioria. O que fazer? Mudar de profissão? Pode ser, mas, para os que amam o que fazem a saída foi se adaptar a esta nova fórmula. Não a do sucesso, mas a de se manter vivo e ativo no mercado fonográfico. Ser up to date!

Aqui em Pernambuco, um bom exemplo de banda que resolveu meter a mão na massa é a Bande Dessinée.  Além de preocupações com a parte musical que envolve repertório, arranjos e execução, a Bande tem um trato especial com diversos outros aspectos importantes como a relação direta com o público, a participação ativa em redes sociais, o cuidado com a imagem externa e um rigor técnico e artístico com as peças de divulgação.

Esta semana, a Bande Dessinée lançou o clipe da música Perdizes (Filipe Barros e José Demóstenes), com direção e edição de William Paiva. Um vídeo que traduz muito bem a musicalidade pop-elegante do grupo que, a cada dia, conquista mais espaço neste difícil e grandioso universo musical pernambucano. É por aí!

Foto: Louise Vas.